Ícaro visita o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO)

Ícaro visita o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO)

O vereador Ícaro Francio Severo (PSDB) visitou, no mês de fevereiro, o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). A proposta foi vistoriar a estrutura, conhecer os procedimentos realizados, além de apurar possíveis dificuldades no desenvolvimento dos trabalhos.

De acordo com a servidora Letícia Furquim, que apresentou a unidade ao vereador, o CEO de Sinop foi fundado no ano de 2005 na categoria tipo 2 (que possui minimamente quatro cadeiras odontológicas). Atualmente, essa é a única unidade de Mato Grosso com a categoria tipo 3 (que deve possuir um mínimo de sete cadeiras odontológicas) e conta com oito cadeiras odontológicas.

As áreas ou especialidades que obrigatoriamente devem ser atendidas pelo CEO, conforme estabelece o Ministério da Saúde são:  periodontia (especialidade que atua nos problemas de gengiva e tecidos de sustentação dos dentes), endodontia (especialidade que realiza tratamentos de canal), diagnósticos com ênfase na identificação precoce de Câncer Bucal, cirurgia oral menor (cirurgias de pequeno porte, como extração de dentes), além de atender pacientes com necessidades especiais (com carga horária mínima de 40 horas semanais).

Além dessas especialidades obrigatórias, o CEO também atende – devido a alta demanda – outras áreas, como: odontopediatria (tratamento bucal das crianças, atuando em casos não passíveis de resolução nas Unidades Básicas de Saúde com equipes de saúde bucal) e prótese dentária, onde são confeccionadas próteses dentárias totais para pacientes.

Falta de mais profissionais

Mesmo com a disponibilidade de oito cadeiras odontológicas, a unidade sofre com a falta de mais profissionais para o atendimento da demanda. Ícaro constatou, durante sua visita, que alguns consultórios estavam sem atendimento. “Certamente a inatividade dessas cadeiras, por falta de mais profissionais, reflete nas filas de esperas que os pacientes precisam enfrentar. Anotamos essa situação e vamos cobrar um posicionamento da Secretaria Municipal de Saúde sobre isso”, disse Ícaro durante a visita.

A servidora explicou que as oito cadeiras em atividade corresponderiam a 280 horas de profissionais atendendo. Porém, há profissionais concursados para 20 horas, o que faz com que esses atendam apenas pela manhã ou apenas à tarde. Também há servidores que se encontram afastados, que não prestam mais serviço ao município, ou que tiveram que ser remanejados para as unidades básicas.

Letícia também explicou que o Ministério da Saúde monitora uma produção mínima de serviços do CEO para que hajam os repasses de recursos. Segundo ela, a ausência de profissionais em determinadas especialidades prejudica o alcance das metas, e a equipe da Secretaria Municipal de Saúde vem trabalhando no sentido de resolver o problema.

Outro fator que prejudica o atendimento no CEO é a cobertura de equipes de saúde bucal na atenção básica (nas Unidades Básicas de Saúde), pois a população sem referência em seu local de residência busca atendimento no CEO.

Centro Odontológico de Referência (COR)

No prédio onde funciona o CEO, localizado no cruzamento da Rua das Azaleias com a Rua das Castanheiras, também atende o Centro Odontológico de Referência (COR). Com duas cadeiras disponíveis, o COR é responsável pelos atendimentos relacionados à atenção básica, como, por exemplo, restaurações e limpezas.

O COR iniciou os atendimentos no bairro Jardim Primaveras, próximo à Escola Estadual João Olímpio Pissinatti Guerra. Porém, por problemas estruturais no prédio, a unidade precisou ser transferida para duas salas anexas ao CEO.

Conforme dados fornecidos pelo Poder Executivo, em resposta a um requerimento do Poder Legislativo, o imóvel que atualmente atende o CEO/COR é locado pela Prefeitura e custa R$ 16,7 mil por mês. O contrato com o proprietário foi firmado em abril de 2015 e estará vigente até abril deste ano.

A intenção, segundo Letícia, é ampliar o COR para que possa ser dada vazão a demanda por atendimentos relacionados à atenção básica, como, por exemplo, restaurações de adultos e crianças que não possuem equipe de saúde bucal em sua UBS. Dessa forma, o CEO funcionaria como centro de referência para os atendimentos especializados apenas.

Mutirões de atendimentos

Até que essa ampliação da equipe ou ampliação do COR seja feita – o que precisa passar por estudos e deliberações diante de gastos e orçamento – a equipe do CEO/COR e os profissionais da saúde bucal na atenção básica vêm realizando, desde 2018, mutirões para atendimentos em alguns sábados, para eliminar as filas de espera nas especialidades.

Para a servidora, a dificuldade no atendimento da demanda pode ser minimizada com as seguintes providências: ampliação da cobertura das Unidades Básicas de Saúde (UBS), que atende a atenção básica; ampliação do COR; e análise para abertura de uma outra unidade CEO na região do São Cristóvão.

Weslley Mtchaell – Assessor de Imprensa

Enviar mensagem
Precisa de ajuda?
Olá, tenho uma dúvida!