Ícaro defende igualdade no reajuste dos servidores e no vale-alimentação

Ícaro defende igualdade no reajuste dos servidores e no vale-alimentação

Proposta é rejeitada, e servidores da Prefeitura permanecem em desvantagem em relação aos da Câmara

Ícaro vota favorável à todas as reposições salariais

O vereador Ícaro Francio Severo (PSDB) assinou oito indicações para apresentar extrapauta na 8ª Sessão Extraordinária, realizada segunda (18). Juntamente com os vereadores Adenilson Rocha, Dilmair Callegaro e Luciano Chitolina, Ícaro solicitou que a prefeita Rosana Martinelli (PR) encaminhasse a proposta de reajuste aos servidores em 4%, e não em 1,95%.

Além disso, os mesmos parlamentares pediam que o vale-alimentação dos servidores da Prefeitura aumentasse em R$ 200, passando de R$ 150 para R$ 350. A solicitação foi colocada em votação e reprovada pela maioria dos votos. Apenas os vereadores autores e Hedvaldo Costa (PR) defenderam que as indicações entrassem na Ordem do Dia. Leonardo Visera (PP) não esteve presente e o presidente Ademir Bortoli (PMDB) não votou, pois não houve empate.

Em relação à reposição salarial, a Prefeitura propôs um reajuste de 1,95% aos servidores do Executivo. Já a Mesa Diretora da Câmara Municipal propôs 1,95% de reajuste e 2,05% a título de aumento salarial real aos servidores do Legislativo, totalizando 4% de acréscimo.

“Os 4% de reposição propostos pela Câmara estão de acordo com o que foi apontado como índice inflacionário no município. Mas, quanto aos servidores do Executivo, nada pudemos fazer, pois o Executivo mandou apenas 1,95% de reposição”, lembrou Ícaro.

Quanto ao vale-alimentação, a Prefeitura encaminhou um reajuste de apenas R$ 15, passando de R$ 150 para R$ 165. A Câmara Municipal aumentou o vale em R$ 200, passando de R$ 400 para R$ 600. Ícaro votou favorável ao aumento para os servidores do Executivo e contrário o aumento para os servidores do Legislativo.

“Defendo que servidores da Prefeitura e da Câmara Municipal recebam valores equiparados. Atualmente, os colaboradores do Legislativo recebem um vale-alimentação de R$ 400, já distante dos R$ 150 que os servidores da Prefeitura recebem. Considero injusto aprovar o aumento de R$ 200 para alguns e apenas R$ 15 para outros, pois todos são servidores de uma mesma administração pública”, argumentou Ícaro.

Ícaro ainda ressaltou que, apesar da independência dos poderes, o Legislativo e o Executivo compõem uma mesma administração pública. “O orçamento da Câmara é bancado pela Prefeitura. Ou seja, o caixa é o mesmo. Apesar da independência de atuação dessas esferas públicas, o dinheiro que sustenta esses órgãos é um só. A Câmara não possui um método próprio de arrecadação de recursos, o dinheiro vem do Executivo”, ponderou.

Um servidor da Prefeitura, que não quis ser identificado, lamentou o reajuste proposto no vale alimentação. “A gente fica revoltado com isso. Será que os servidores da Prefeitura merecem comer menos do que os servidores da Câmara Municipal? Todos nós somos servidores públicos, trabalhamos para Sinop. Se é justo esse aumento de R$ 200 para eles, é justo para nós também”, comentou.

Servidores ficam de costas durante a votação de 1,95%

Como forma de protesto à reposição de 1,95%, servidores municipais ficaram de costas ao plenário durante a votação do reajuste. Na tribuna, Ícaro se dirigiu aos servidores, lembrando que a Prefeitura fala em “humanização” e “valorização do servidor público”, mas manda para a Câmara uma proposta incompatível com essa fala. “Conceder apenas 1,95% de reposição não é o caminho para isso. Esse não é o caminho. É uma lástima ter que aprovar apenas 1,95% para os servidores da Prefeitura”, disse.

Weslley Mtchaell – Assessor Parlamentar

Enviar mensagem
Precisa de ajuda?
Olá, tenho uma dúvida!